É possível mudar o nome da empresa? Como fazer?

Quem nunca se arrependeu de uma escolha, seja na vida pessoal ou profissional? E quem nunca teve de mudar algum processo para ter sucesso no negócio? Sobretudo quando é preciso tomar uma decisão importante, é comum ter que voltar atrás e repensar o projeto. 

Mas e quando essas adaptações dizem respeito ao nome da marca, como a necessidade de pensar em algo mais estratégico ou para substituir o que foi uma má escolha no início? É possível mudar o nome da empresa?  

Sim, é possível! Porém, muitos fatores precisam ser bem avaliados para tomar uma decisão a partir da consideração de todos os prós e contras. Além disso, a escolha precisa ser feita de forma efetiva, a fim de evitar outras mudanças no futuro.  

Continue a leitura para entender como funciona esse processo. Aprenda também como fazer a mudança de maneira inteligente, além de dicas que podem ajudar nesse momento.  

O que leva uma empresa a mudar de nome – Rebranding 

Quando uma empresa decide mudar, de alguma forma, o seu posicionamento no mercado — e isso inclui o nome — chama-se esse processo de rebranding, que significa “reformulação”. 

 

Isso quer dizer que a marca poderá ser reformulada por meio de mudanças diversas: 

  • no nome; 
  • na logo
  • na identidade visual (e isso nem sempre envolve a logo); 
  • no tom de comunicação com os clientes. 

rebranding consiste em investir em estratégias de evolução e aperfeiçoamento da marca. E, se você pensa que isso acontece apenas em casos de negócios que estão indo mal, não se engane. 

O processo de rebranding representa uma reformulação na marca
Crédito: Getty Images/Goodshoot RF

Saiba que reformular é importante, inclusive, quando a empresa está indo tão bem que deseja alcançar novos nichos. E uma das principais ações de rebranding é a alteração no nome. Veja alguns dos principais motivos que levam a essa decisão. 

Mudança de ramo 

Aqui vamos te dar um exemplo: quando se fala em Jacuzzi, você logo imagina que esse é o nome da banheira, certo? Pois saiba que essa é uma marca registrada, e não o objeto, de uma empresa ítalo-americana especializada em banheiras de hidromassagem.  

Porém, banheiras era algo que os fundadores nem imaginavam produzir até o acidente com Giocondo Jacuzzi, um dos donos. Ele morreu em uma tragédia em um dos aviões produzidos na empresa. Até então, a Jacuzzi Brothers era especializada em fabricação de aeronaves.  

O negócio fechou após o acidente. Anos depois, a família utilizou a expertise em fabricação de aeronaves para suprir uma demanda do mercado à época, e, assim, criou um equipamento especial para poços profundos.  

A partir daí, a empresa surgiu novamente em um novo mercado e teve de se adaptar. Ou seja: foi do segmento da aviação, sob o nome de Jacuzzi Brothers, para o mercado de objetos hidráulicos como banheiras, chuveiros e pias, com o título apenas de Jacuzzi. 

Separação dos sócios 

Esse é um desafio para pessoas que colocam o próprio nome na empresa — ou suas iniciais. Quando há separação entre os sócios, por diversos motivos, se a organização for vendida, ela também venderá os direitos de uso do próprio nome. 

Com isso, a empresa pode ter de mudar seu nome, já que um dos donos não faz parte da sociedade mais. Além do que, se o empresário que saiu quiser abrir outro negócio, não poderá utilizar o mesmo nome anteriormente, caso ele ainda esteja registrado pela empresa antiga. 

Arrependimento 

O arrependimento pode acontecer, entre outros motivos, quando os donos do negócio não dedicaram tempo e estudo suficientes para escolher algo que combinasse com a atividade principal da empresa. Exemplos disso são quando a sonoridade não é adequada, a escrita é complexa, entre outros fatores.

Isso pode levar a uma não aceitação do mercado ou baixa aderência no nicho escolhido.

Novo posicionamento de marca 

No mundo todo, é possível ver empresas que precisaram se reposicionar no mercado para sobreviver. Um novo posicionamento pode ser referente à cultura, que pode se tornar obsoleta, à reformulação dos produtos e serviços, à entrada em um nicho novo, entre outros motivos. 

Um bom exemplo aqui é o caso da Havaianas. Quem não se lembra daquelas tradicionais sandálias brancas com tiras azuis? Esse foi o único modelo da empresa por muitos anos e a mesmice fez com que houvesse uma queda expressiva nas vendas.  

Para movimentar os negócios novamente, a Havaianas elaborou estratégias de reposicionamento e propôs vários outros modelos, mais modernos e conectados com as necessidades do mercado.  

chinelos da marca Havaianas com estampa da Disney
Havaianas atualmente faz parceria com grandes marcas como a Disney

Perda da marca por falta de registro  

Muitas pessoas começam suas atividades apenas escolhendo um nome. A partir daí, fazem a divulgação, imprimem materiais para enviar aos clientes e fazem todas as atividades sem registrar o nome da empresa, oficialmente, no INPI

Seguir esse caminho é um erro, afinal, pode ser que todo o trabalho de construção da marca precise ser refeito, já que pode haver outra empresa com o mesmo nome, porém, devidamente registrada. O mesmo acontece quando a empresa não providencia a renovação do registro e perde a marca

4 Exemplos de empresas que mudaram de nome e seus motivos 

Apesar de ser um processo burocrático e um tanto desafiador, mudar de nome é uma atividade comum pelo mercado. Veja alguns exemplos de empresas que tiveram bons motivos para investir em novas marcas. 

1. Google – Backrub 

Backrub era o nome do maior buscador da internet, o Google, você sabia? Porém, seus fundadores não achavam uma definição tão atraente para um mecanismo de buscas.  

foto do buscador mais famoso do mundo quando foi lançado, com nome de Backrub
Backrub é o antigo nome do Google, antes do rebranding
Fonte: Pinterest

Por esse motivo, em 1996, resolveram mudar o nome fazendo referência ao número matemático que se chama Googol, que é 10 elevado a 100. Isso quer dizer: um número 1 seguido de cem zeros. O objetivo era transmitir a ideia de um número inimaginável de pesquisas feitas por meio do buscador

2. Amaro – Aremo 

No começo, a Amaro se chamava Aremo e tinha como foco o e-commerce. Porém, com o crescimento do negócio, o consumidor começou a associar a marca à outra do segmento de calçados, a Arezzo.  

email da Amaro comunicando mudança no nome, que era Aremo
Empresa muda o posicionamento e passa a se chamar Amaro

Para se resguardar de riscos no futuro, evitar grandes problemas jurídicos com a Arezzo e se posicionar de maneira mais clara para os consumidores, a empresa decidiu mudar de Aremo para Amaro. Foi uma boa troca, concorda? 

3. Ponto – Ponto Frio 

Ainda está recente e pode ser difícil não falar “Ponto Frio” em vez de Ponto, mas a empresa mudou o nome alegando a necessidade de ir direto “ao ponto”, com simplicidade e sem enrolação.  

Entre as estratégias de branding para reformular a imagem da marca está a mudança no nome e na logo da empresa. Veja como ficou. 

logo da Ponto, lançada em 2021 como reposicionamento da marca Ponto Frio
Logo que representa a empresa Ponto, conhecida antes como Ponto Frio
Fonte: Istoé Dinheiro 

4. Diet Ayds – Ayds 

Achamos importante mencionar esse caso para você ver que nem toda mudança é significativa e trará resultados se não tiver estratégia. A marca americana de doces dietéticos Diet Ayds (1981) tinha apenas Ayds como nome até 1987, quando a epidemia de Aids se intensificou pelo mundo.  

Em função da referência negativa, a empresa também adotou o “Diet”. Entretanto, parece que a mudança não surtiu muito efeito, já que os doces desapareceram do mercado anos depois. 

barras de chocolate da marca Ayds, conhecida nos anos 80
Doces dietéticos com nome de Ayds da década de 80
Fonte: Superstorm 

Como mudar o nome da empresa 

Viu quantas referências de mudanças significativas e outras nem tanto?

Portanto, é importante avaliar bem se a alteração é necessária e, mais do que isso, pensar em um novo nome de forma estratégica: 

  • faça uma pesquisa do seu mercado e avalie o nome e a identidade visual dos seus concorrentes; 
  • avalie se a mudança é realmente necessária e relevante para o negócio; 
  • faça pesquisas com seu público por meio de enquetes nas redes sociais ou formulários que se pode facilmente enviar por e-mail; 
  • pesquise se as opções de troca estão disponíveis para registro
  • registre o novo nome o quanto antes; 
  • informe seu público sobre a mudança. 

Para finalizar, tenha em mente que muito mais do que avaliar o nome em si, é preciso pensar no negócio e na qualidade do produto ou serviço que a sua empresa oferece. Entenda que as pessoas não compram com você apenas por causa do seu nome e sim, pelo que elas recebem com a compra.  

Em outras palavras, ainda mais importantes do que o nome, são a qualidade, o atendimento, o preço e o valor agregado que a empresa oferece. Investir nesses processos é se tornar uma marca valiosa para o consumidor.  

Com tudo isso alinhado, caso seja realmente necessário mudar o nome da empresa, tenha certeza que o processo de alteração e adaptação será muito mais tranquilo. Mas lembre-se de registrar o novo nome para garantir a exclusividade, hein! 

Ficou com dúvidas e quer entender melhor como mudar o nome do seu negócio? Entre em contato com a gente e vamos conversar! 

Sem comentários

Escreva o seu comentário

O que você quer fazer hoje?

Quero verificar se a minha marca está disponível para registro no INPI 
Já estou pronto(a) para iniciar o registro no INPI